Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \30\UTC 2009

Meu mundo tem dois lados
Que você pode chamar de dois mundos.
Mas não existe nenhum laço
Para amarrá-los num mesmo segundo.

Um lado eu chamo de Preto,
O outro tenho de chamar de Branco.
Ambos falam, mas se acham santos
Queria que eles vissem o que eu vejo.

Tenho de esconder um ao visitar o outro
E quando ganho, ambos logram dos louros
De um local especial, num momento diferente,
Brigam violentamente, esquecem que também sou gente.

Juntos, apertam e balançam as mãos;
Separados, são as pedras que lançarão.
“Meu amigo, eu queria sumir por um tempo
Pra entender tudo o que não compreendo.”

Estou correndo e cansado,
Mas continuo me movendo
Mesmo quando ainda está chovendo.
Um dia o Sol aparece e me tira esse fardo.

Anúncios

Read Full Post »

A inteligência

Acredito que a inteligência seja um processo natural intrínseco a cada indivíduo. É irrefutável que ela possa ser modelada e lapidada de acordo com os momentos, os interesses e a vida de cada pessoa. Chamar-lhe-ia de um diamante não lapidado. Chamar-lhe-ia, pois o excesso de clichê não me permite.
Então, talvez a inteligência seja mais um vento no litoral que uma pedra preciosa. Dizer-lhes-ei o por quê: Lapidar um diamante dá a idéia de que, uma vez lapidado, não há mais nada a ser feito. Discordo. A inteligência está em constante desenvolvimento, conforme o vento, que é infinito, passeia pelas várias práias, invade os campos, varre as cidades, chega ao pólo de nosso planeta e, com sorte, volta.

A lapidação cria um limite, define um meio, evoca um começo necessário. E nem preciso dizer que os maior diamantes são os mais valiosos, ou os que tem a cor mais vívida e exótica, coisas que não dependem exclusivamente da lapidação para o valor final. O vento não tem tamanho. O vento não tem começo. O vento simplesmente existe. E varre. Com força, tornar-se-á um furacão.E com amor, uma leve brisa de verão.

Feliz Natal,

Um próspero 2010,

Tiago Nogueira.

Read Full Post »

Outro dia estava conversando com o André a respeito de livros.  Pronto, sabe aquelas criancinhas que ficavam trocando tazos [não sabe o que é um tazo? Ah, vc não teve infância…] ? Éramos nós mostrando os livros que tínhamos lido. Livro vai, livro vem, aí ele me falou que tinha lido um livro muito bom. Mas que não lembrava o nome dele. Fiquei pasmo e, assustado também. Forcei minha memória. Será que tinha algum livro que eu li mas nao lembrava também?

Por isso, resolvi manter uma listinha, de todos os livros que eu já li. Dei uma nota de 0 à 5 para cada livro, coloquei os autores quando lembrava.

Eis a minha lista de livros lidos até o momento (em 2009) em ordem Cronológica. Aqueles com um [R] na frente são os livros relidos, que eu já li em outro ano.

A partir de agora colocarei a data de término da leitura.

Apreciem!

Livro – Autor – Nota

  1. Do jornalismo Político à Teoria Crítica – ??? – 4
  2. A Cabana – William P. Young – 3,5
  3. O Reich Oculto – ??? – 4
  4. Lua Nova – Stephenie Meyer – 3
  5. O Jogo – Neil Strauss – 3
  6. 1984 – George Orwell – 5
  7. A Revolução dos Bichos – George Orwell – 4
  8. O jogador – Dostoievski – 5
  9. Para compreender a Ontologia de Lukács – Sérgio Lessa – 4
  10. O Pequeno Príncipe – Saint Exupery – 5
  11. Fortaleza Digital – Dan Brown – 3
  12. [R] O príncipe – Maquiavel – 5
  13. Design para quem não é designer – Robin Williams – 3,5
  14. O que é Semiótica – Lúcia Santaella – 4
  15. O Mundo de Sofia – Jostein Gaarder – 4,5
  16. O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde – 5
  17. Niétotchka Niezvânova – Fiódor Dostoiévski – 4,5
  18. Free – O futuro dos Preços – Chris Anderson – 4,5 – 29/Out
  19. A Fanfarlo – Charles Baudelaire – 4,5 – 31/Out
  20. O Culto do Amador – Andrew Keen – 4,0 – 23/Nov
  21. Primeira Guerra Mundial – H.P. Willmot – 4,0 – 16/Dez

Read Full Post »